28 de ago de 2009

Matemática é legal!





Graças ao @pestanhara, via microblog (palavra simpática), essa semana descobri uma bandinha, deveras estranha, chamada Algernon Cadwallader, que faz um "emo"/"math rock" da pesada. Foi paixão à primeira vista/ouvida pelo youtube.

Em primeiro lugar, a banda me fez lembrar de uma época muito da horinha, quando eu morava em Londrina e passava a maior parte do tempo jogando FIFA, fazendo umas colagens com lixo e revistas velhas ("a arte é um barato!"), e ouvindo umas bandas emo -- mas emo de verdade, coisa fina: American Football, Sunny Day Real Estate, The Get Up Kids. Essas bandas me acompanhavam no discman quando eu pegava o "305 - Campus" nas lindas manhãs londrinenses a caminho da crUEL. Bons tempos!

Além disso, acho que esses migos sintetizam o que algumas bandas do injustiçado "emo" têm de melhor. A proximidade de algumas delas com o "math rock" -- tipo o do Minus the Bear, Cap'n Jazz --, a gritaria, contraditoriamente sutil ao ponto de soar harmônica e agradável, e o som meio atmosférico, mas com uma energia de revolta adolescente. Quando procurei por outros vídeos desses migos, eles se tornaram ainda mais curiosos. Não existem videoclipes no formato tradicional, todas as filmagens são caseiras e os caras sempre estão tocando em uns lugares legais e inusitados, como salas, garagens, porões ou parques, com umas roupas estranhas, meio ridículas, e às vezes descalços (esse é um símbolo emo que nunca entendi, mas confesso que gosto disso).

E enquanto esses caras estão tocando descalços em alguma festinha malhuca por aí -- sei lá, tipo em Chicago -- eu me contento em ouvir passivamente a dupla sertaneja que tá bombando "no talo" ali do outro lado da rua.

Maringá, Texas.

Nenhum comentário: