15 de abr de 2010

Baby, you can drive my Truck!

Ignorando o fato de que algum dos três guitarristas carburadores-de-erva 'errou' quase a música toda e de que ela foi tocada em versão resumida/com piteira para programa de TêVê (e não tê quêrê), chapei que a presença de palco deles, pelo menos no video abaixo, pode não ser a mais empolgante do mundo, porém nunca vi o Letterman pagando tanto pau, e peitinho da loirinha, para uma banda. Por que será, ein, meu amigo jesuíta do fumacê? Deve ser porque esse som é mais 'unzinho' daqueles que grudam na cabeça e que, uma vez que seu cérebro só irá funcionar após baforar os primeiros acordes, não dá pra coçar o dia sem ouvi-lo ao menos uma vez. Especialmente se TU odeia Teu trabalho e principalmente se a única coisa que você pode fazer pra mudar essa situação em que se encontra é ouvindo música numa altura caótica, pra incomodar todos os filhos da puta ao redor (de chefe a criente), te dedico esta canção. A letra é muito bem bolada, estou certo de que foi baseada em fatos reais, e a sonoridade deixa cinzas de bom gosto no ar. Outra coisa, que LPzão bonito, né? Não vejo muito graça em vinil, sou Bonça da era digital assumido e retardado, mas esse com certeza eu compraria só para estragar meu encarte a la Mamonas e pendurar na parede da True-Café. Se você foi criado a leite moça e se interessou nessa banda, saiba que ela já passou por aqui, aliás, "This Fucking Job" já tocou muito nesse blog.


"Sometimes I dream that I had aimed my life in different ways but there was nothin' to show me a way to get me outta this place. So I just did what my daddy did before me only to find the only door I found was closed to me"


Nenhum comentário: