6 de mai de 2010

Vágner (L)


Nos meses que precederam o lançamento do novo disco do Hole, a líder da banda -- e cabulauzia --, Courtney (L), chamou muito mais a atenção por suas tretas com Cris BBA no twitter, ou pelas polêmicas ao redor de quem interpretará Kurt Cobain nos cinemas, do que pela expectativa acerca de Nobody's Daughter -- primeiro trabalho da feiosa após mais de uma década de sumiço, a não ser pelos constantes barracos. Talvez isso se deva ao fato de (L) ser tão lóqui ao ponto de ninguém mais botar muita fé em qualquer projeto em que ela esteja envolvida.

Apesar de eu ter compartilhado dessa crença, não achei que o novo álbum seja uma "grandesmerda" qualquer. Pelo contrário, em seu retorno, o Hole -- ou mais precisamente, sua líder -- traz um disco cheio de baladas que remetem muito à sonoridade que a banda cultivou no final dos 90's. Esses sons predominam, em número e intensidade, sobre aqueles que se pretendem falsamente "agressivos". Afinal, Courtney já é uma velha e não possui mais aquela revolta adolescente -- e esse não é o caso dos migos do Sonic Youth, que fique bem claro.

Tudo isso, obviamente, tem uma explicação: Courtney chupinhou de Kurt Cobaia tudo o que podia e agora se apóia em Cris BBA, que, apesar das merdas que têm feito com o Smashing Pumpkins, sempre será o compositor das lindas canções gravadas por sua banda na década passada. Esse é um álbum mais pra "Celebrity Skin" (1998) do que para "Live Trough This" (1994), embora esteja muito abaixo de ambos.

Courtney, sua vaca!


Hole - Pacific Coast Highway by cafe_magro

Um comentário:

Andye Iore disse...

tudo q o Hole fez sempre foi parecido com alguma coisa... bandinha q não faz diferença alguma!