4 de mai de 2011

Roteiro.


Se um dia eu fizesse um filme, a trama se passaria num cenário bem frio, mas ensolarado. Os personagens aludiriam à juventude do Brüki, que inicia a história como uma gälere feliz, porque imersa até o talo nas mentiras da indústria cultural. Aos poucos, em busca de princípios libertadores, passam a caçar gatos pela neighborhood, descobrindo nessa atividade um imenso e estranho prazer. Após várias fitas envolvendo bichanos, minas e drogas, todos chora. Pois, se fode e termina isolados, já que a satisfação proporcionada por sua nobre arte é acompanhada da solidão que a reflexão sobre a life exige. No final, à luz de uma gedala manhã, todos morre ao mesmo tempo, mas em pontos diferentes da city. Foram assassinados por terroristas da Okaida. Close no corpo sem vida de um gato de rua. A câmera, lentamente, se afasta com um efeito tipo Google Earth. Começa a tocar essa música. Quando já dá pra ver toda a Terra aparecem cenas, em slow motion, dos personagens felizes e reunidos em uma pequena festa. Mas isso é só uma lembrança de seus "bons tempos" -- que, na real, eram os piores possíveis. Os sentidos essenciais da existência humana são relativizados. Fim.



3 comentários:

Anônimo disse...

HAHAHAHAHHAEHAHHAHAHAHAHHA

menino de longe disse...

Eu vi o filme inteiro lendo essa bela resenha.

Você está de parabéns.

Francimara Nunes

crz disse...

i ♥ t.recs